19
Set
11

A dita ‘crise’.

Está nas noticias em todos os canais, a crise, esta coisa maléfica e invisível mas que nos afecta a todos, malvada sem rosto mas que nos mete as mãos ao bolso.
Mas exactamente o que é esta crise e como começou, será o rosto da mesma assim tão invisível? Intriga-me a ideia de alguém que mete a mão ao bolso e nem dou conta, por isso pensei sobre o assunto e cheguei a uma conclusão algo estranha.
A crise não começou agora, nem ao ano passado nem com a falência dos bancos, não por incrível que parece a crise começou com algo mais distante, a guerra do Iraque e a subsequente guerra no Afeganistão. Sim esses foram os motores que alimentaram a crise, porque o acontecimentos que desencadearam essas 2 frentes ofensivas também tiveram repercussões na economia que ficaram esquecidas, uma foi o súbito aumento dos combustíveis fosseis nos quais assenta a nossa economia, o impacto do aumento destes foi tão grande que de súbito aparecem como por magia carros híbridos e eléctricos como se estes fosse revolucionários quando na realidade poderiam ter sido feitos anos atrás. Depois disto veio o impacto nos custos de produção de todos os produtos acrescido pelo escalar do custo das duas frentes de combate, o resultado, os bancos arrebentaram porque estava-se a tentar passar uma imagem de normalidade quando a realidade era tudo menos normal, financiou-se duas guerras sem aumento de impostos, o dinheiro naturalmente tinha de vir de algum lado, quando as vacas secaram ‘bancos’, foi aí que se compreendeu que nada se havia aprendido com as lições do passado, e a bolsa caiu os mercados mergulharam na crise, desemprego e a impossibilidade de pagarem os créditos habitacionais no país envolvido no conflito foram apenas as últimas gotas de água necessárias a fazer uma economia cair e levar consigo todas as outras.
Agora estamos todos lixados, basicamente. Mas o que fazer, vamos continuar a ser prejudicados com as agencias de ratting a nos porem no lixo para depois no emprestarem dinheiro a juros mafiosos só para que lucrem com a nossa desgraça e consigam assim pagar as suas próprias contas, isto é o que se tem passado, o melhor truque de magia e fazer o público olhar para uma mão enquanto com a outra mudamos as cartas e isto é o que de facto tem-se passado, estamos a pagar o facto de alguém ter ido para a guerra e ter-se esquecido de aumentar os impostos para financiar a mesma.
A minha única preocupação é que a única referencia histórica a uma crise generalizada na Europa provocada pela queda de uma bolsa remonta aos anos 30’, e a solução que arranjaram, ou, como a coisa se resolveu… bem olhem para os jornais de 1939 a 1945….


0 Responses to “A dita ‘crise’.”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: