24
Mar
07

O bom, o mau e o terrível.

    Há pessoas
que nascem boas, simpáticas e cordiais. Verdadeiros cordeiros neste mundo,
inocentes, nenhum mal vêem na vida, bons cidadãos, cumpridores e honestos.
    Depois há os maus, aqueles que são escória
deste mundo. Fora do sistema, das regras, vivem sem pensar no dia seguinte,
manhosos falsos e trapaceiros, fogem à verdade sendo desonestos até com os próprios.
    Por fim, eu.
Simplesmente estou-me nas tintas para todos, ignoro-os excepto se tentarem
entrar no meu mundo. Se o fizerem, que venham em paz e pela verdade, senão então
que estejam prontos, porque serei implacável. Nenhuma consideração ou misericórdia
tereis pelos maus, seus apelos à minha compaixão serão apenas ecos vazios. Sobre
eles descerá a minha justiça, descobrirão que há um preço a pagar no fim, que nada
neste mundo fica por ser pago. Eu serei o cobrador que irá executar a cobrança,
serei o instrumento final do destino pois a mim ninguém me fica a dever, quem o
tentar, terá perante mim uma divida que não irá nunca conseguir pagar nem subornar.
A minha função afinal será de juiz, júri e carrasco, sem julgamento terão de
cumprir a sentença por trespassarem para o meu mundo.
    Sou simpático,
mas não me tentem sequer lixar-me as ideias, se o fizerem, fujam de qualquer
forma e nunca olhem para trás, pois a minha justiça irá os perseguir sem
descanso.


0 Responses to “O bom, o mau e o terrível.”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: