01
Set
06

Com a praia à vista…

    Se esta
semana tivesse sido para mim uma prova olímpica, teria sido sem dúvida a prova
dos 100 metros.
    A cada um
dos cinco dias úteis da semana corresponderia a 20 metros. Assim sendo e
seguindo esta lógica, a segunda-feira teria sido o momento inicial, logo após o
disparo de partida, num momento em que passamos toda a energia disponível para
o solo, em que a pressão exercida sob os pés é enorme e inclinamos o corpo para
a frente de modo a compensar a aceleração.
    A
terça-feira, essa seria a marca dos 40, aí atingiu-se já toda a velocidade que
seria possível de atingir, o pico máximo. Agora já com o corpo a direito
corremos disparados, o vento passa pelo rosto e puxa o cabelo para trás e a
cada golfada de ar, parece que o ar não aquece nos pulmões e tem de ser
imediatamente substituído por outra golfada de ar fresco em oxigénio.
    A quarta-feira,
foram os 60 metros
que percorri, bastou manter o ritmo que havia ganho até aí, mas no final já se
sente cãibras, o esforço brutal que impulsionou-me até ali faz-se notar,
começa-se a pagar o preço e a velocidade lenta mas garantidamente começa a cair,
e já não há mais nada a fazer para contrariar, aos 60 metros acabou-se toda
a energia e o pior está a chegar.
    Quinta-feira
seria os 80, o fôlego foi-se é uma questão de lutar contra tudo que nos diz
para parar, as cãibras nas pernas, os pulmões que parecem já não ter a
capacidade em fornecer o vital e essencial oxigénio e o coração que parece
querer explodir..
    Agora
faltam ainda mais 20
metros, já nada mais resta sem ser a inércia mas mesmo
essa já não é suficiente, resta apenas uma curta distância entre onde estamos e
a linha de chegada, ou como alguém disse, a praia à vista. Agora estes últimos
metros que são a sexta-feira são uma questão de mente sobre a matéria, de fé. Há
que acreditar que se consegue chegar mas mais do que isso, há que ter a certeza
que conseguimos, não pode haver margem para dúvidas, tenho de acabar o que comecei,
tenho de lá chegar…afinal são só mais 20 metros e 80 já ficaram para trás e agora
simplesmente tem que se percorrer cada metro, mesmo que cada um pareça 100, mas
a cada um que se percorre, fica menos um para o final…
    A praia está
mesmo à vista e eu quero fincar os meus pés na areia, naquele ponto exacto aonde
as ondas se perdem e a areia é fria mas suave.
    Sexta-feira,
de uma maneira ou de outra eu vou passar por ti e acabar com a semana, não é
nada pessoal…é simplesmente algo que tenho de fazer. Os meus 100 metros.


0 Responses to “Com a praia à vista…”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: